As Tecnologias de Informação e Comunicação e As Diferentes Possibilidades de Aprendizagem de Línguas no Contexto Escolar.

Nilson R N Alves, Reportagem

Há muito tempo se tem discutido no Brasil o que sistemas educacionais, pesquisadores, famílias e professores podem e devem fazer para que o ensino e a aprendizagem de línguas, quer seja a Oficial, Língua Portuguesa, quer sejam estrangeiras, no sentido de ser Padrão ou Culta, possa ser cada vez mais eficaz e mais significativo para àqueles que tanto necessitam, não apenas dominar  regras e normas, mas também, saber utilizar o idioma desejado nas mais variadas situações e contextos linguísticos onde a comunicação satisfatória possa acontecer de fato.

Por Tecnologia, entende-se aqui como sendo um conjunto de técnicas que está relacionado com conhecimentos técnicos e científicos, assim como a sua aplicação e transformação de processos criando novos conhecimentos. A palavra Informação, em um sentido genérico, pode ser compreendida como informar-se ou informar, notícia ou conhecimento produzido a partir de determinados eventos. Juntando-se às definições anteriores, o termo Comunicação é, assim, informação produzida, armazenada e transmitida.

A partir do entendimento das palavras Tecnologia, Informação e Comunicação, pode-se entender que as TICs devem ser percebidas como recursos tecnológicos que se apresentam como novas formas de se informar e se comunicar.

Diante do exposto até então, nota-se que há muito tempo tem-se discutido no Brasil o que sistemas educacionais, pesquisadores, famílias e professores podem e devem fazer para que o ensino e a aprendizagem de línguas, quer seja a Oficial quer sejam estrangeiras, no sentido de ser Padrão ou Culta, possa ser cada vez mais eficaz e mais significativo no que diz respeito à apropriação e ao uso de línguas aos mais diferentes contextos onde o idioma seja o meio principal para a expressão e entendimento de ideias e conhecimentos. Infere-se que existe a necessidade de se recorrer a outros recursos e possibilidades para que os aprendizes de línguas possam desenvolver e ter suas competências e habilidades potencializadas por instrumentos que tornem os processos de ensinar e aprender meios diferentes e capazes de apresentar uma maior contextualização para o ato de textualizar ideias e pensamentos seja por meio oral ou escrito.

Sabe-se que por se apresentarem ainda como algo novo, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), a princípio, podem parecer algo ameaçador e provocador de medos para aqueles que ainda não dominam completamente ou não sabem se utilizar delas como possibilidades de trazer para dentro da sala de aula e, para o contexto escolar, o que há muito tempo os aprendizes e usuários de línguas já têm como um conjunto de tecnologias inerentes às suas rotinas, pois a maioria faz parte da chamada geração Z, ou seja, são nativos de uma era na qual as tecnologias digitais, potencializadas pela Internet, são as principais formas de apropriação e uso de informações. Necessário se faz destacar que muitas escolas e professores ainda não se deram conta de que o contato com mundo físico ou digital sempre se deu por mediação concreta ou abstrata e que a sociedade vive em um caminho sem volta no que diz respeito ao uso de tecnologias cada vez mais avançadas. Tal ideia é reforçada diante de notícias e conhecimentos de que muitas escolas proíbem o uso de aparelhos eletrônicos e uso da Internet em suas ambiências educativas.

Assim, diante de um tema tão novo e amplo, o que este texto pretende é apenas apresentar o resgate de definições relativas às TICs, trazer à discussão o papel de professores, aprendizes de línguas e como a tecnologia e a Internet podem ser utilizadas como meios potencializadores de aquisição e uso de línguas no contexto de sala de aula, quer pública ou privada, do sistema regular de escolarização brasileiro.

No que diz respeito às diferentes possibilidades de aprendizagem de línguas no contexto escolar, é importante salientar que estas estão estreitamente relacionadas às TICs. Destacam-se aqui o uso da Internet e as diferentes redes sociais mais conhecidas e utilizadas nos dias atuais, difundidas e instaladas em praticamente todos os smart phones. Acredita-se que nunca na história da humanidade se produziu e se difundiu tanto conteúdo escrito, neste contexto tecnológico, conteúdo pictórico, ou seja, produções que envolvem a escrita, a imagem e o som. Assim, percebe-se que a “tradicionalidade” de salas de aula e práticas educativas presas aos séculos XIX e XX pouco tem atingido à sua real função que é a emancipação linguística de usuários da Língua Portuguesa e línguas estrangeiras como o inglês e espanhol.

O ensino da Língua Padrão é mister no sentido de unificação, demarcação territorial e posição política frente a um mundo cada vez mais encolhido e globalizado. Porém, observar e levar em consideração os fenômenos e possibilidades que a tecnologia apresenta é uma oportunidade de, além de se colocar em sintonia como ensino, é também uma forma de apropriar-se da sincronia e diacronia tecnológicas para perceber e fazer perceber que as novas tecnologias e a Internet se propõem a apresentar-se como ajudadoras e potencializadoras de aprendizagens.

O que o facebook, o what’s up, o Instagram e outrem têm a nos ensinar sobre a apropriação, uso e manipulação das habilidades e competências linguísticas tão básicas e necessárias para uma melhor inserção, compreensão e transformação do mundo à nossa volta?

Ficam os conceitos, ideias e provocações …

 

Professor Nilson R N Alves
Graduado em Letras Inglês
Pós-graduado em Língua Portuguesa
Pós-graduado no Ensino de Língua Inglesa
Fone-Whats: 73 988416788

Deixe uma resposta